Ubaldino do Amaral Fontoura

Ubaldino do Amaral Fontoura

Membro da Loja Firmeza, de Itapetininga-SP.-Ilustre Republicano.- Candidato à Presidência da República em 1905. Nasceu dia 02 de agosto de 1843, na cidade da Lapa-PR. – Faleceu em 22/01/1920.

“Nasceu em 27 de agosto de 1843 – ou sejam vinte e sete dias após o lançamento dos primeiros selos postais brasileiros os famosos OLHO DE BOI – filho de Francisco das Chagas do Amaral Fontoura e de D. Gertrudes de Almeida Pilar.

Com 12 anos de idade, o menino veio morar com seus pais, para onde os mesmos mudaram em 1855, em Sorocaba.

Depois de frequentar o Colégio São João do Lageado do Professor Francisco de Paula Xavier de Toledo, Ubaldino do Amaral foi para São Paulo, onde foi matriculado na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, que o bacharelou em 1865.

Ainda no mesmo ano o jovem advogado voltou para Sorocaba, onde passou a advogar, e desde 1866 se encontra os seus escritos em jornais paulistas e sorocabanos.

Tinha 22 anos ao se formar, e embora exista a possibilidade remota, de ter sido Iniciado Maçom em alguma Loja paulista, talvez a Loja “Amizade”, é quase certo que ele tenha sido Iniciado pouco depois de seu retorno a Sorocaba, na Loja Constância, Oficina então tradicional na cidade, fundada em 08-04-1847, e da qual faziam parte então a maioria dos homens importantes do lugar.

Não dúvidas que Ubaldino era Obr.’. dessa Loja, pois constava em seu cadastro sob nº 162, mesmo porque em 02-08-1869 a Loja “Constância” o riscou de seu Quadro, “…por pertencer a Loja Perseverança, depois 3ª”, fundada em 31-07-1869.

Houve na verdade, sem que naquela época se fizesse muito alardo disso, pois então, na medida do possível, as coisas eram feitas com decoro e decência, uma dissidência naquele Quadro.

Reunidos numa residência, na rua da Penha, em 19-07-1869 se reuniram 24 IIr.’. da Loja Constância, liderados pelo Dr. José Leite Penteado e o Dr. Ubaldino do Amaral Fontoura, 3.’., e resolveram fundar uma nova Loja.

Era um grupo que queria acelerar a libertação dos escravos e trabalhar pela divulgação dos ideais republicanos, e estes objetivos ainda mais se sintetizam, depois da “dupla” já citada, ter visitado em São Paulo a Loja América, onde ouviram uma das pregações inflamadas do estudante Ruy Barbosa.

Naturalmente o ambiente conservador da “Constância”, jurisdicionada ao GOB, não era muito favorável a estas idéias, razão pela qual, em 31-07-1869 se fundou a Loja “Perseverança”, que se colocou sob a jurisdição de Saldanha Marinho, o terrível “GANGANELLI'”, que em 1863 abandonou o GOB e, descaradamente adotou o mesmo título de Grande Oriente do Brasil.

Ubaldino do Amaral foi um dos fundadores desta nova Loja em Sorocaba, em sua primeira administração ocupando o cargo de Orador, mas até 28-12-1869 redigindo todas as Atas, por certamente o Secretário eleito ter falhado.
Desde 1871, ao lado de Maylasky, Ubaldino deu início à formação da Via Férrea Sorocabana, empreendimento pouco depois vitorioso.

Em 1874 o nosso biografado retirou-se de Sorocaba, mudando para a Côrte (Rio de Janeiro), onde passou a advogar, sendo mais tarde eleito Deputado à Constituinte, Deputado Federal, etc.

No Rio de Janeiro, naturalmente ficou no Grande Oriente Unido de Saldanha Marinho, para cuja administração foi eleito no ano de 1877 Grande Orador, sendo empossado em 11 de abril, nesta ocasião já tendo o Grau 30.’., inerente a este cargo. Quer dizer que já antes deve ter sido elevado ao Gr.’. de Rosa-Cruz pela sua Loja.

Presumivelmente no Rio de Janeiro pertenceu à Loja Comércio do Gr.’. Or.’. Unido, que em 18-01-1883 também foi incorporada ao GOB, e que em 18-11-1886 se fundiu com a Loja “Duplicata” que o GOB tinha fundado em 1863. Em 14-01-1886 foi empossado na Gr.’.Loja Centr.’. do GOB, como Repr. da Loja América de SP, sendo curioso que em 07/1888, a Loja Comercio comunicou a Gr.’. Loj.’. Centr.’. em Sess.’. de 14-07-1888, que tinha eliminado o Ir.’. Ubaldino, Gr.’. 30.’. do seu Quadro juntamente com outros quatro OObr.’., o que causa espécie, já que Ubaldino era Ir.’. Remido da Oficina (Liv. Ata pág. 167). Em 1876/77, pronunciou duas famosas Conferências no Gr.’. Or.’. Unido, sob o título “CLERICALISMO…” que o GOB em 1910 reeditou, com sua autorização, (Ref.BR-1910, 334 ) dizendo: “terem sido realizadas as conferências no Grande Oriente do Brasil”.

Faleceu Ubaldino do Amaral no Rio de Janeiro em 22 de janeiro de 1920.

(Transcrito do Livro “Biografia de Maçons Brasileiros” de Renato Mauro Schramm, pág. 272 a 274 Edição 1.999 )

Logo após a sua formatura, abriu banca de advogacia, muito conceituada; mas o advento da Republica obrigou-o a abandona-la para exercer o cargo de Inspector da Alfandega do Rio de Janeiro, que abandonou por ter sido eleito senador para a Constituinte.

Como parlamentar, muito se distinguiu, sendo eleito membro da commissão dos 21 incumbida de dar parecer ao projecto da Constituição Federal. A 15 de Novembro de 1894, renunciou o mandato para exercer o cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal, que pouco depois renunciou. Exerceu os cargos de Prefeito do Districto Federal e de Director do Banco do Brasil.

Maçom ativo, parlamentar, tribuno, jurisconsulto em todas as funcções que desempenhou, destacou-se como um vulto de valor. Deixou os seguintes opusculos: Discurso no Grande Oriente do Brasil (1876), Segunda Conferência do Grande Oriente (1877);Saldanha Marinho, perfil biographico; Discurso proferido no Congresso Nacional, sobre a Constituição da República; Discurso no Senado em 27 de Maio de 1891;
colaborou em diversos jornais.

(Extraído do “Dicionário Histórico e Geogra fico do Paraná” – de Ermelino de Leão – I.H.G.P. – 1.994 – pág. 2.421)

Cargos Públicos
Membro do Conselho Diretor da Instrução Primária e Secundária do Município da Corte
Inspetor da Alfândega
Presidente da Comissão Inspetora da Casa de Correção
Presidente do Conselho de Intendência Municipal
Ministro do Supremo Tribunal Federal
Diretor do Banco do Brasil
Membro do Conselho de Junta Administrativa da Caixa de Amortização do Banco do Brasil
Presidente do Banco do Brasil
Membro da Comissão de Arbitramento

Profissões: Professor, Advogado e Jurista

Mandatos: Senador – 1891 a 1891 e de 1892 a 1894
Prefeito – 1897 a 1898

Trabalhos Publicados
– Discurso proferido a 11 de agosto de 1876 no Salão do Grande Oriente Unido do Brasil. Rio de Janeiro, 1876.
– Discurso pronunciado no Congresso Nacional sobre a Constituição da República na Sessão de 19 de dezembro de 1890. Rio de Janeiro, 1891;
– Discurso pronunciado na sessão do Senado de 27 de maio de 1891. Rio de Janeiro, 1891;
– Saldanha Marinho. Perfil biográfico por A. de V. Rio de Janeiro.
– Segunda Conferência no Salão Grande Oriente Unido do Brasil, Rio de Janeiro, Leuzinger, 1894



Total de leitores: 343. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.950.980
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.