Revolta da Armada

Revolta da Armada – 1893 – Resumo, Causas

História Da Revolta Da Armada, Causas, Resumo, Líderes, Contexto Histórico

A Revolta da Armada foi um movimento de rebelião ocorrido em 1893 e liderado por algumas unidades da Marinha Brasileira contra o governo do presidente Floriano Peixoto.Causas:- Interesses, divergências e disputas entre grupos políticos no começo da República Velha;- Após a renúncia do presidente Deodoro da Fonseca em 1891, ao assumir, Floriano Peixoto destituiu todos os governadores que apoiavam Deodoro. Este fato gerou divergências políticas;- Os militares, principalmente da Marinha, eram contrários a ascensão política de civis, promovida pelo governo de Floriano Peixoto;- Pouco prestígio político, no âmbito federal, da Marinha em relação ao do Exército;- Os militares revoltosos da marinha contestavam a legalidade do governo Floriano, pois a Constituição dizia que o vice-presidente só poderia assumir o cargo após dois anos de governo do presidente. Como a renúncia de Deodoro aconteceu antes de dois anos de mandato, os revoltosos contestaram o governo Floriano;Líderes da revolta:- Almirante Custódio de Melo- Almirante Luiz Filipe Saldanha da GamaParticipantes:- Oficiais da Marinha Brasileira- Jovens oficiais- Pessoas que defendiam o regime monarquista e que estavam insatisfeitas com o fim da MonarquiaObjetivos:- Os revoltosos eram contrários às mudanças políticas patrocinadas por Floriano Peixoto;- Convocação dos eleitores para eleições que pudessem escolher novos governadores;-Os revoltosos queriam a manutenção dos militares no poder.Acontecimentos e como terminou.Em 13 de setembro de 1894, navios de guerra da Marinha, em posse de militares integrantes da revolta, bombardearam a cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil. O governo Floriano não cedeu, organizou o Exército e resistiu à revolta. A defesa do litoral impediu o desembarque dos revoltosos.Após muitos conflitos armados, o governo debelou a rebelião em março de 1894.

O que foi

A Revolta da Armada foi um movimento de rebelião ocorrido em 1893 e liderado por algumas unidades da Marinha Brasileira contra o governo do presidente Floriano Peixoto.

Causas:

O Arquivo Histórico preserva uma importante coleção de 195 fotografias do espanhol Juan Gutierrez, que atuou no Rio de Janeiro no final do século XIX. Ele documentou a "Revolta da Armada" (1893/94), retratando as fortificações, os soldados e o armamento utilizado, sem, contudo, apresentar cenas do embate
O Arquivo Histórico preserva uma importante coleção de 195 fotografias do espanhol Juan Gutierrez, que atuou no Rio de Janeiro no final do século XIX. Ele documentou a “Revolta da Armada” (1893/94), retratando as fortificações, os soldados e o armamento utilizado, sem, contudo, apresentar cenas do embate

– Interesses, divergências e disputas entre grupos políticos no começo da República Velha;

– Após a renúncia do presidente Deodoro da Fonseca em 1891, ao assumir, Floriano Peixoto destituiu todos os governadores que apoiavam Deodoro. Este fato gerou divergências políticas;

– Alguns grupos militares, principalmente da Marinha, eram contrários a ascensão política de civis, promovida pelo governo de Floriano Peixoto;

– Pouco prestígio político, no âmbito federal, da Marinha em relação ao Exército;

– Os militares revoltosos da Marinha contestavam a legalidade do governo Floriano, pois a Constituição dizia que o vice-presidente só poderia assumir o cargo após dois anos de mandato do presidente. Como a renúncia de Deodoro aconteceu antes de dois anos de mandato, os revoltosos contestaram a legalidade constitucional do governo Floriano;

Líderes da revolta:

– Almirante Custódio de Melo
– Almirante Luiz Filipe Saldanha da Gama

Participantes:

– Oficiais da Marinha Brasileira.

– Jovens integrantes da Marinha.

– Pessoas que defendiam o regime monarquista e que estavam insatisfeitas com o fim da Monarquia.

Objetivos:

– Os revoltosos eram contrários às mudanças políticas patrocinadas por Floriano Peixoto;

– Convocação dos eleitores para eleições que pudessem escolher novos governadores;

-Os revoltosos queriam a manutenção dos militares no poder.

Acontecimentos e como terminou

Em 13 de setembro de 1894, navios de guerra da Marinha, em posse de militares integrantes da revolta, bombardearam a cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil. O governo Floriano não cedeu, organizou o Exército e resistiu à revolta. A defesa do litoral impediu o desembarque dos revoltosos.

Após muitos conflitos armados, o governo debelou a rebelião em março de 1894.

Bibliografia indicada:
– A Revolta da Armada
Autor: Martins, Hélio Leôncio
Editora: Bibliex Cooperativa
Temas: História do Brasil, República Velha



Total de leitores: 563. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.971.250
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.