Os Fenícios

Os fenícios eram hábeis na navegação, tinham adquiridos conhecimentos astronômicos dos babilônicos e usavam as estrelas, especialmente a estrela POLAR, para a orientação nas viagens a noite

Os fenícios também eram de origem semita e estavam estabelecidos na costa do Mediterrâneo desde épocas remotas.

Ficaram submetidos a diferentes senhores que dominaram aquelas regiões mas, sem prejuízos disso, realizaram intensa atividade comercial em suas cidades entre as quais foram de maior importância naquela época SIDON e BIBLOS. Biblos foi a primeira cidade fenícia que alcançou certo esplendor. Esteve em estreita relação comercial com o Egito e caiu sob sua dependência aumentando-lhe então as possibilidades mercantis porque muitos produtos egípcio se vendiam quase que exclusivamente por seu intermédio.

Biblos, não pode manter sua hegemonia na fenícia; outra cidade Sidon principiou a desenvolver-se e obscureceu a sua rival. Sidon foi uma das principais posições egípcia na época das guerras da Síria, porém o seu verdadeiro esplendor foi atingido quando começou a explorar o comércio marítimo que antes era realizado pelos cretenses.

Com efeito, após 1400 quando Creta caiu ante os ataques dos aqueus, os fenícios de Sidon aproveitaram as circunstâncias favoráveis para dominar as regiões do cobre e para açambarcar o intercambio comercial das ilhas do Mar Egeu e essencialmente a de Creta e das cidades das costas da Síria e da África.

Construida por Nabucodonosor, a Porta de Ishtar(deusa da amor e da guerra na mitologia mesopotâmica) era a mais grandiosa das oito portas que permitiam entrar na cidade de Babilônia. Os fenícios eram antigos colonos de parte Ocidental do Fértil Crescente. Fazendo parte embora dos povos semíticos, eram de ancestrais mesclados, assim como os canaanitas. E, do mesmo modo que os hebreus e filisteus, os fenícios nunca se organizaram fortemente como nação.

As cidades que fundaram compartilhavam de uma cultura comum mas não tinham elos políticos mútuos,nem se agrupavam na aventuras mercantis. Foram capazes de manter sua independência enquanto nenhum grande império as ameaçou.Mas, no século IX a .C., os assírios os subjugaram.

No período de sua independência porém, os fenícios desenvolveram extenso e lucrativo comércio, e especialmente por mar, através do Mediterrâneo, levando mercadorias – e idéias – das terras civilizadas do Oriente para os povos atrasados da Europa e do Ocidente.

Entre as suas mais velhas estações comerciais e coloniais havia GADES (CADIS) na costa atlântica da Espanha, ÚTICA no litoral mediterrâneo da África e próxima de Cartago, que se tornou sua maior colônia. A religião dos fenícios estava longe de ser admirável. Abrangia superstições cruéis, ritos licenciosos em honra da deusa ASTARTE e o sacrifício de crianças, que eram queimadas vivas. Alguns desses costumes chegaram até aos judeus de Israel.

Por exemplo, AHAB construiu um templo ao BAAL de TIRO para JEZEBEL, uma de suas esposas que era fenícia. Felizmente, os fenícios tinham algo melhor do que sua religião para oferecer à civilização.Sua maior realização foi o alfabeto, que começaram a usar por volta de 1500 a .C., provavelmente como um aprimoramento dos símbolos egípcios. Entre os povos a que os fenícios ensinaram seu alfabeto estavam os gregos do Egeu, que o aperfeiçoaram acrescentando-lhe vogais – os próprios fenícios só usavam consoantes. Juntamente com a nova escrita veio o uso do papiro e da tinta que lhes haviam ensinado os egípcios e que se mostrou um sistema muito menos incômodo do que a escrita em pedras ou tabuinha de barro.

Os fenícios eram hábeis na navegação, tinham adquiridos conhecimentos astronômicos dos babilônicos e usavam as estrelas, especialmente a estrela POLAR, para a orientação nas viagens a noite Ficaram muito conhecidos na engenharia e na produção da jóias. Entre as obras de engenharia, destacam-se a famosa canalização de água para abastecer a população das cidades como por exemplo TIRO e a construção do templo de JERUSALÉM, na época de SALOMÃO;além disso muitos dos principais artífices e técnicos especializados eram fenícios.

Os produtos comercializados pelos fenícios iam desde os navios, tecidos, madeiras, azeite, jóias, vidro (transparente ou colorido),até os mais diversos artigos que conseguiam com outros povos como escravos. Ficaram famosos os tecidos tingidos na Fenícia com um molusco o múrice de cor viva, conhecido como “púrpura de TIRO”, usado especialmente pelas altas camadas sociais dos grandes impérios da Antiguidade.O próprio nome fenício, da palavra grega phoinix, significa púrpura.

Públicado no MS MAçom, originalmente em 5 de novembro de 2010 às 7:26.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.



Total de leitores: 775. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.971.277

About EDITOR

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.