Numerologia

O que é numerologia?

Numerologia
numerologia é uma ciência pouco divulgada, mas de grande valor para o estudo dos números em relação aos planetas, ao universo, aos sons, às cores, às auras dos seres em geral e, principalmente, para o estudo da Maçonaria. Deus, o G.’.A.’.D.’.U.’., é também o Supremo Geômetra, e o Supremo Matemático do Universo

O que é numerologia?

Como profissional, constantemente sou abordada para responder as dúvidas mais diversas sobre Numerologia e a mais comum entre todas é justamente sobre a eficácia deste estudo. Como, onde e quando aplicar numerologia conseguindo resultados práticos para o dia a dia. Afinal, o que é Numerologia?
Quem, hoje em dia, já não ouviu falar ou leu algo à respeito?

Muitos são os conceitos atrelados a este estudo.

Movidas pela curiosidade ou por forte interesse, as pessoas que tiveram algum contato com os princípios básicos de numerologia, sentem-se atraídas por ela. Algumas encontram informações curiosas sobre si mesmas, outras procuram as chamadas previsões nos números, como costumam fazer com a astrologia.

Atualmente, os meios de comunicação abrem bons espaços para os temas ditos “esotéricos”.

Revistas, jornais, sites e programas de rádio, entre outros, proporcionam aos seus leitores e ouvintes, programações atraentes nesta área. Além disso, existe o trabalho específico do “mercado esotérico” divulgando diversos produtos e serviços como Mapas e Previsões entre outros, principalmente com base nos conceitos da Numerologia e Astrologia.

Seguindo esta linha de raciocínio podemos abordar outra questão que surge mediante o volume de tantas ofertas e, talvez por isso, existam os questionamentos sobre a seriedade destes trabalhos. Por vezes, a massificação e a falta de profissionalismo que vemos ao redor destes temas, nos faz pensar se realmente existe sinceridade ou se não passam de especulação.

erta vez, uma abordagem em especial me fez refletir sobre esta questão. Uma pessoa que havia solicitado um Mapa Numerológico por correspondência e sem conhecer o profissional, demonstrava ter várias dúvidas. “Rosana, eu pedi este trabalho via internet e não entendi muita coisa” disse-me ela, “quero dizer, descreveu meus números, mas não concluiu. Bonito, mas fiquei na mesma”. Ela estava a procura de um entendimento mais profundo.

Argumentei que quando queremos contratar, adquirir um serviço ou consultar um bom profissional, de todo e qualquer campo de atuação, podemos fazê-lo por indicações de outras pessoas que obtiveram bons resultados. Quando não é possível a indicação, então partimos para pesquisa, porém, o contato pessoal ou pelo menos por telefone no primeiro momento com o profissional, sempre ajuda em nossa avaliação. Principalmente quando lidamos com algo mais íntimo e pessoal.

Um bom trabalho numerológico foge das fórmulas feitas e entra na originalidade própria de um estudo direcionado e personalizado. Devemos evitar trabalhos generalizados, sem a devida preocupação e assistência ao indivíduo.

A entrevista, explanação dos fundamentos, aplicação prática de todas aquelas informações, a interpretação de tantos números pessoais, fazem parte do trabalho do (a) numerólogo (a).

A valorização e destaque de um profissional desta área e, consequentemente, o aumento na requisição de sua consultoria, acontece quando este faz as devidas análises dentro de um estudo, dominando as interpretações de todas as vibrações numéricas em sua individualidade e, principalmente, como elas se relacionam entre si.

Por fim, ela concluiu que pagara por um trabalho que não a satisfez, porém, servira como experiência. Como ela, muitos são atraídos apenas pela curiosidade.

Boa parcela da população desconhece as origens e raízes dos estudos dos Astros e dos Números.

A numerologia e astrologia eram práticas dos antigos povos. Personalidades influentes consultavam os astros e signos ( símbolos letras e números ) para terem sucesso em seus empreendimentos. Estes fatos vêm carregados de lendas, de força e riqueza envolvendo estas práticas numa aura de mistérios e encantos.

Bem, deixando detalhes da história antiga para outra oportunidade, tentarei passar, com base em experiência própria, algumas informações sobre o tema Numerologia.

Pesquisando, constatei que o conhecimento dos astros e dos números andava de mãos dadas em outros tempos. Atualmente tornaram-se estudos distintos e realmente complexos.

Quem abre o jornal ou revista à procura das previsões de seu signo, não imagina que esta é apenas a ponta do iceberg de um conhecimento muito antigo, apenas a sombra da representação de uma sabedoria que exige empenho em sua análise. Admito, com certa tristeza, que estes conceitos e práticas milenares não são considerados atualmente como algo valoroso.

Sua aplicação é mínima na cultura moderna ocidental, passando por oráculos curiosos, fantasiosos, supersticiosos. Penso que o ser humano, com o passar dos tempos, artificializou-se de tal forma que afastou-se dos ensinamentos espirituais e, com isso, enfraqueceu seus instintos naturais.

Eu mesma não compreendia o significado desta palavra “espiritual”. Pensava que a essência do espírito estava ligada incondicionalmente aos ritos e religiões. Acreditava e acredito que para muitos, as religiões representam o caminho para alcançar este fim, porém com o tempo veio o amadurecimento e esta “condição” deixou de ser primordial em minha vida.

A meu ver, “Espiritualizar-se” é o ato que proporciona agregarmos valores de vida ao nosso EU, e ao mesmo tempo descobrir outros tantos valores já existentes em nosso íntimo mais profundo. Pode representar conceitos diversos, conforme o entendimento de cada ser. Para mim é simplesmente fazermos contato com nosso âmago, nosso EU, seja lá o nome que queiramos dar: alma, espírito, essência ou self, o importante sempre foi e continuará sendo poder ouvir-se.

Um dia uma amiga me ofereceu um Mapa numerológico e desde então, me apaixonei pelo tema. Na época, não tinha nem idéia da amplitude deste mundo. Depois deste primeiro contato, comecei a comprar muitos livros e me tornei autodidata. Na verdade, aprendiz de feiticeiro que saía fazendo cálculos com os nomes de todos os amigos. Era divertido. Conforme a curiosidade crescia, as constatações alimentavam minha satisfação pessoal. Procurei especialização.

Quando iniciei meu trabalho, a primeira coisa que percebi era que as pessoas desenvolviam forte atração pela possibilidade, por pequena que fosse, de saber seu destino; saber sobre passado, presente e futuro. As chamadas “previsões”.

A palavra “previsão” não faz parte de meu vocabulário, pois acredito que a numerologia pode nos dar tendências de fases que podemos vivenciar, mas de maneira nenhuma tem a pretensão de descrever fatos, situações ou acontecimentos na vida de qualquer um. Se algum profissional sério da área o faz, é por que pode contar com um dom a mais, especial e pessoal em seu trabalho.

As “tendências” representam vibrações que chegam e vão embora, conforme o passar do tempo. São conhecidos como números temporários ou influências temporárias. Alguns exemplos: Ano Pessoal, dia Pessoal, um período mais longo conhecido como Realizações ou Pináculos, entre outros.

O conhecimento deste aspecto vibracional pode realmente fornecer orientações em diversos assuntos que envolvem nosso dia a dia. As tendências de mudanças, por exemplo, ficam claras quando, em determinada fase de nossas vidas, experimentamos a vontade de mudar ou sofremos influências de situações que nos levam a mudar. Possivelmente tudo pode ser modificado a nossa volta, independente de nossas vontades. As transformações a que estamos sujeitos alcançam todos os pontos importantes de nossas vidas, do físico ao psicológico.

Em certos momentos queremos mudar de casa, de marido, de trabalho ou até de conceitos, a maneira de pensar. Em outras épocas, os assuntos familiares são o mais importante, bem como tudo que represente estrutura, conforto, bem estar; como adquirir uma residência. Os períodos de reflexão, introspecção são conhecidos como fases espirituais onde o conselho é mergulhar nos estudos e nas descobertas íntimas. Procurar especialização, não sendo favorável a assuntos expansivos ou afetivos. Em contra partida, os momentos de início favorecem as atitudes pioneiras, aos impulsos desbravadores, a coragem e determinação de começar algo novo ou até inédito. Não importa o tamanho de seu projeto ou de seus passos, o importante é começar. O simples ou o complexo.

Começar num emprego novo, colocar em prática seus projetos que estavam apenas no papel, voltar a estudar causando espanto aos que pensavam que você já tinha pendurado a chuteira… ou dar início a convivência interior, finalmente desenvolvendo a auto-valorização.

Como existe ciclicidade nesta organização temporária, você sempre terá influências numéricas de início, meio e fim. Pelos conceitos da numerologia nós passamos por todos os momentos importantes de nossas vidas representados pelas influências básicas dos números que vão do Um ao Nove e, ocasionalmente, dos números Mestres e kármicos.

Mestres e Kármicos exigem uma atenção maior na explicação de seus conceitos. Por isso mesmo, é melhor deixarmos para uma próxima oportunidade, onde farei uma merecida explanação.

O bom de se ter este tipo de informação, vibrações temporárias, é que estaremos, dentro do possível, preparados para eventuais fases delicadas, exigentes ou promissoras. Respirar aliviado quando estamos chegando ao final de uma fase difícil. De qualquer forma a compreensão das vibrações numéricas, que comandam um determinado período, e a devida atitude positiva com relação a elas, pode elevar ou minimizar os seus efeitos.

Então, os números têm as mesmas influências e efeitos em todas as pessoas? Continuando com o exemplo da vibração que representa “mudanças”, posso dizer que mudança é mudança para todos, porém temos que juntar à esta informação os números pessoais de cada individuo para sabermos o que representa a tendência de mudança para uns e para outros. Quero dizer que para alguns, as modificações são bem vindas, oferecem desafios, sensação de aventura que as tiram do marasmo que julgam viver. Este tipo de postura, diante das maiores instabilidades, atrai oportunidades benéficas. Para outros, conforme seus números pessoais, representará uma fase de extrema insegurança, um inconformismo diante da possibilidade de deixar os seus apegos, mesmo que estes apegos representem algum sofrimento em suas vidas. Acham melhor deixar tudo como está.

Voltando ao tema: Para que Serve a Numerologia…,
Para mim, o ponto alto deste estudo é fazer conhecer a todos, as enormes possibilidades de desenvolvimento pessoal que alguém pode alcançar se descobrir suas reais qualidades e fraquezas. A conscientização é o melhor veículo de mudança e aprimoramento que existe para este tipo de trabalho.

Muitas de nossas dúvidas podem ser removidas. Teremos respostas para certas questões que parecem repetirem-se constantemente. “Por que cometo os mesmos erros? Por que não me amoldo às convenções?”

E chego à conclusão que “sou bom nisso”… “Tenho dons para aquilo”… e que normalmente, não escuto meu EU interior gritando para ser ouvido, dizendo: “ no natural e no simples está a resposta, olhe e escute a si mesmo. Observe a interação entre você e seu meio ambiente. O papel que está desempenhando é satisfatório? Tudo tem um custo e benefício. O preço que está pagando é justo pelo beneficio que recebe?”
Não quero com isso vender a imagem “resolva sua vida num passe de mágica”, já que descobertas íntimas requerem disposição, amadurecimento, amor e certo tempo.

A numerologia levada a sério, escapando das receitas comerciais que estão por aí a torto e a direita, pode ser para você como foi para mim, uma descoberta fascinante. Ainda hoje, reflito sobre as interpretações dos números e sua relação com o íntimo do ser humano.

Por vezes, estudando um Mapa posso compreender melhor as motivações que levam uma pessoa a certas atitudes. Tudo começa a ser compreensível. Isso me dá uma tremenda tranqüilidade. Aceito a realidade do meu próximo e, por causa dele, por observá-lo, consigo me enxergar melhor.

Costumo dizer que os números pessoais são comparáveis ao “dial” de um rádio. Por eles, podemos chegar à freqüência em que aquele ser humano está sintonizado desde que nasceu. Saberemos seu alcance, se existe interferências ou se a transmissão é fidedigna. O tipo de mensagem, o nível de programação que ele recebe e transmite.

unca foi tão importante o se conhecer. Estamos na fase boa para isso. A natureza do ser humano abre esta brecha.

E você? Conhece sua natureza? A freqüência que está sintonizado?
Rosana Quevedoh – Numeróloga

Direitos de http://www.msmacom.com.br
publicado em 11 e outubro de 2009.



Total de leitores: 1.433. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.920.255
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.


  1. Ximenes, gostei muito do seu trabalho, apesar da complexidade do assunto é de fácil compreensão e, como leigo que sou na matéria,me estimulou bastante a prosseguir no estudo da SIMBOLOGIA NUMÉRICA. Um T.’.F.’.A.’.

  2. A Maçonaria, em sua parte esotérica, preocupa-se com os números e seu estudo.Hoje, quando o homem, assoberbado com as preocupações da vida moderna, reserva quasenenhum ou mesmo nenhum tempo para cogitações de ordem filosófica, torna-se cada vezmais difícil o estudo dos números e a compreensão da sua simbologia. Não obstante isto,a Maçonaria recomenda tal estudo e inclui mesmo, como parte obrigatória de seusensinamentos, a simbologia numérica nas instruções a serem ministradas aos Aprendizes,aos Companheiros e aos Mestres Maçons.Esta aprendizagem é obrigatória e, diga-se de passagem, ela simplesmente nãose faz. Não se faz porque, não havendo conhecimento maior, os Rituais limitam-se apenasa “dar notícia da simbologia numérica” a título de Instrução e, mesmo assim, esta “notícia”é apenas lida em Loja sem maiores comentários!A inclusão de Instrução especialmente dedicada ao estudo dos números, no Ritualdo Primeiro Grau, nos leva à convicção de que a Maçonaria acha necessário o seuconhecimento para que possa o Aprendiz galgar outros Graus mais elevados. Pretendemosaqui analisar, nestas Instruções, alguns aspectos mais obscuros, a fim de que possam setomar mais compreensíveis ao Aprendiz. Deve ficar absolutamente claro, aqui, que nãosomos autoridades no assunto e nem conhecedores profundos da Cabala nem dainterpretação dos Sephirot e, assim, as opiniões a serem expendidas representam, apenas,o esforço de estudos por nós feitos sobre o assunto, sem constituir no entanto, um verdadeiro“

    Magister dixit

    ”. Recomendamos aos interessados a leitura da Coleção de Jorge Adoum,intitulada “Esta é a Maçonaria”, para um conhecimento mais perfeito sobre o assunto.O Ritual do Primeiro Grau recomenda ao Aprendiz familiarizar-se com os quatroprimeiros números. Nossa opinião é de que o estudo não pode, sob pena de ficarincompreendido, iniciar-se pelo número

    UM

    , mas antes, pelo

    ZERO

    que é, como veremos,a fonte originária de toda a escala numérica. Também somos de opinião que o estudo donúmero

    QUATRO

    não deva ser feito pelo Aprendiz, uma vez que ele importa emconsiderações que deverão ser do domínio do Grau de Companheiro

Deixe seus Comentários (rede social)