Palácio Maracaju, sede do Estado de Maracaju, localizado em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

O Estado de Maracajú e o Movimento Constitucionalista de 1932

O Estado de Maracajú e o Movimento Constitucionalista de 1932

Palácio Maracaju 2Em 1932, São Paulo procurava formar uma aliança com outros estados para exigir do governo provisório de Getúlio Vargas que o Brasil voltasse ao regime constitucional.

Tomando a dianteira, na esperança do apoio de outros Estados, como o Rio Grande do Sul e Minas Gerais, São Paulo deflagrou a 9 de julho o Movimento Constitucionalista, que contou com a adesão da maioria dos militares sediados no sul de Mato Grosso, bem como da maioria de seus líderes civis (Nota 1).

O General Bertoldo Klinger comandava a Circunscrição Militar de Mato Grosso e suas constantes críticas ao Presidente Getúlio Vargas culminaram na sua exoneração, mas com a deflagração do movimento, ele foi escolhido para assumir o comando supremo das Forças Constitucionalistas.

O fato de existir um movimento divisionista no sul do Mato Grosso em relação ao governo de Cuiabá juntamente com a disposição dos líderes civis e militares em apoiar o movimento contra o governo provisório propiciou que fosse instalado o Estado de Maracajú, tendo como capital a cidade de Campo Grande.

Em sessão solene, realizada no dia 11 de julho de 1932, a sede do governo foi instalada na Loja Maçônica Oriente Maracajú localizada na Av. Calógeras entre a Av. Afonso Pena e Rua 15 de Novembro.

Como governador, assumiu o Dr. Vespasiano Barbosa Martins, médico de renome; como secretário-geral, o Sr. Arlindo de Andrade Gomes; como prefeito de Campo Grande, o Sr. Artur Mendes Jorge Sobrinho; e como Chefe de Polícia, o Sr. Leonel Velasco.

Em Paranaíba, os constitucionalistas destituíram o prefeito e formaram um grupo de resistência.

Sem uma fronteira definida com o norte do Mato Grosso, visto existirem outras necessidades mais urgentes, o recém-empossado governo organizou tropas, principalmente de civis, para abafar os movimentos em favor do governo provisório de Getúlio Vargas, principalmente em Bela Vista e Porto Murtinho.
Do ponto de vista estratégico, o apoio do sul do Mato Grosso era de suma importância, pois permitiria através da navegação pelo rio Paraguai, exportar a produção paulista, principalmente o café, e importar insumos e armas.

A adesão ao alistamento voluntário foi muito grande, conforme depoimento do combatente Emílio Garcia Barbosa: “Só da família Barbosa quatrocentos homens apresentaram-se para a luta, para a volta do regime da legalidade. (…) Oitocentos homens novos e dispostos enfileiraram-se na Avenida Afonso Pena para esperar o armamento e munição. E ela não veio, poucos e velhos fuzis foram distribuídos, mal deram para armar trezentos homens”. Os excedentes foram dispensados.

Vários batalhões foram formados e se dirigiram para diversas partes do Estado.

O batalhão Gato Preto composto por cerca de 400 homens, comandado por Henrique Barbosa Martins, foi para a região conhecida atualmente como Cassilândia (na serrania das Morangas), com o objetivo de impedir a invasão das tropas ditatoriais vindas de Goiás e de Minas Gerais e que pretendiam tomar Três Lagoas, considerada importante entroncamento ferroviário.

Mesmo recebendo reforços de tropas regulares, foram obrigados a recuar para o porto do Galeano, posteriormente para o rio Quitéria e finalmente até o rio Sucuriú. Mesmo assim, o batalhão Gato Preto não permitiu que a cidade de Caçula, como era chamada Três Lagoas na época, fosse tomada pelas tropas ditatoriais vindas de Goiás e Minas Gerais.

O batalhão Saravi comandado por Antônio Alves Correia e Etalívio Pereira Martins guarneceu o porto XV de Novembro.

Palácio Maracaju, sede do Estado de Maracaju, localizado em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.
Palácio Maracaju, sede do Estado de Maracaju, localizado em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Onde funciona a Loja Maracaju, 01 da Grande Loja do Estado do Mato Grosso do Sul – GLEMS

O batalhão Antônio João, dos garimpeiros de Rochedo, comandado pelo capitão João Pessoa Cavalcanti rechaçou em Coxim a força policial vinda de Cuiabá contra Campo Grande.

A Coluna de Bronze foi formada por militares e civis para combater os ditatoriais de Bela Vista, tomar Porto Murtinho e em seguida o Porto Esperança. Tinha como comandante militar o major Silvestre e como comandante civil, o Sr Altivo Barbosa Martins (Kiki Barbosa). Depois de tomar Bela Vista, a Coluna sitiou Porto Murtinho sendo, porém rechaçada. Enquanto esperavam melhores condições para contra-atacar, foi assinado o armistício em 2 de outubro de 1932.

Em virtude da derrota dos Constitucionalistas, a separação do sul do Mato Grosso com restante do estado existiu somente durante o período de 11 de julho a 2 de outubro de 1932, porém como o movimento divisionista era originário de épocas anteriores ao Movimento Constitucionalista, ele permaneceu ativo até que no dia 11 de outubro de 1977 o estado de Mato Grosso do Sul foi criado através de Decreto-Lei assinado pelo Presidente Ernesto Geisel, e implantado oficialmente em 1º de janeiro de 1979.

Notas
1) Excluem-se os líderes civis ligados a Companhia Matte Laranjeira ligados por interesses políticos ao governo de Cuibá. Essa companhia possuía na época cerca de 2 milhões de hectares onde era extraída erva-mate de ervais nativos, área que hoje é ocupada por 20 municípios.

(Sérgio Righi)



Total de leitores: 398. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.964.449
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.


Deixe seus Comentários (rede social)