A história de amor entre Ísis e Osíris

A história de amor entre Ísis e Osíris

Pertencente à mitologia egípcia, é uma história cheia de sentimentos e luta pela realização do amor. Inicialmente, é preciso entender um pouco da genealogia dos deuses. Do casamento entre o Nut (Céu) e a Geb (Terra), que eram irmãos, nasceram o Rá (Sol) e a Tot (Lua), irmãos gêmeos. Na segunda gestação de Geb, ela teve 5 filhos (Osíris, Ísis, Hórus, Néftis e Set). Com ciúme de seus irmãos, Rá impediu que eles nascessem. Juntos, no ventre materno, as crianças cresceram e conheceram a paixão. Set enamorou-se de Néftis e Osíris de Ísis. Apaixonados, os casais ficaram com seus corpos entrelaçados, em união sexual durante cerca de oito mil anos.

Certo dia, os filhos de Geb perceberam que sua mãe estava sofrendo com o crescimento deles em sua barriga e descobriram que não conseguiam nascer por ordem de Rá. Revoltados, decidiram nascer e, para isso, receberam ajuda de Tot para enganar Rá. Com muita astúcia os filhos de Geb e Nut nasceram.

Fora do ventre materno, Osíris e Ísis ficaram responsáveis pelos cuidados de parte do povo egípcio. Néftis e Set cuidaram do povo do deserto, mas sempre visitavam seus irmãos. Néftis, vendo o amor entre Osíris e Ísis, desejou ser parecida com a irmã, imaginando que poderia receber o mesmo amor de seu marido. Então, um dia, ela se enfeitou e penteou seus cabelos como Ísis e foi até o jardim de Osíris. Ao relembrar o amor vivido entre seus irmãos, Néftis começou a chorar e, nesse momento, Osíris entrou no jardim. Embora Néftis soubesse que estava enganando Osíris, ela se deixou levar pelo desejo de ser amada como sua irmã Ísis e foi seduzida por seu amante. Pensando que a mulher a sua frente fosse Ísis, Osíris a amou e dessa união nasceu Anúbis, que foi logo abandonado pela mãe natural para fugir da ira de Set, o marido traído. Ísis, ao encontrar a criança abandonada, pegou-a para criar e, para isso, recebeu a ajuda de Néftis. Embora Ísis desconfiasse de Néftis, jamais a condenou pela traição cometida. Ao descobrir que havia sido enganado, Osíris chorou e pediu perdão à sua esposa.

Então, Set descobriu a traição de sua mulher e resolveu vingar-se do irmão Osíris. Construiu uma caixa de cedro cheia de pedras preciosas incrustadas nela, do tamanho exato de Osíris. Em uma reunião desafiou os homens presentes: “Quem couber no interior desta caixa a terá como troféu”. Ingenuamente, Osíris entrou na caixa, que foi prontamente lacrada. O esquife, com Osíris vivo dentro dele, foi jogado no rio Nilo.

Desesperada com o sumiço de seu marido, Ísis foi em busca dele. Ao descobrir o que Set havia feito, ela percorreu todo o curso do rio Nilo à procura de seu esposo.

Em Biblos, o caixão tocou a terra e desse encontro nasceu uma tamangueira, que prendeu em seu tronco o esquife de Osíris. Um rei passou por ali e, vendo a árvore, pediu que seus servos a levassem para o palácio, onde seria usada como uma das colunas de sua construção. Sabendo do destino do esquife e depois da árvore, Ísis se disfarçou de serva para permanecer ao lado de seu marido morto. Porém, a rainha descobriu o disfarce de Ísis. Logo que soube que havia ali, em seu palácio, uma deusa, pediu que a coluna feita da árvore de Osíris fosse retirada e dada à Ísis.

De volta ao Egito, Ísis abriu o esquife e viu o corpo morto do marido. Para protegê-lo da ira de Set, ela escondeu o corpo de Osíris em uma caverna e permaneceu nas redondezas, ajudando o povo, mas sem se identificar como deusa.

Tempos depois, Set encontrou o esquife escondido de Osíris e foi certificar-se da morte do irmão. Porém, percebendo o perigo que corria, Osíris acordou e chamou por Ísis. Set, enfurecido, esquartejou Osíris e atirou seus pedaços nas águas do Nilo. Com muito esforço e sofrimento, Ísis, com a ajuda de Néftis e Anubis, juntou os pedaços de Osíris, menos o pênis. Em seguida, construíram um santuário para Osíris, onde colocaram seus restos mortais. Para substituir o pênis perdido, Ísis fez um falo de ouro. Anubis, cuidadosamente reconstituiu o corpo do pai e, em sonhos, Ísis encontrou com Osíris e fizeram amor. Dessa união nasceu Hórus, o filho que vingaria Osíris da fúria de Set.

A inveja, o ciúme fazem, muitas vezes, com que cometamos atos impensados, pois procuramos ser amados, as vezes, a qualquer custo. Néftis, ao passar pela irmã, não procurava Osíris, mas o amor que ele sentia pela esposa, Ísis. Um amor confortante, que a respeitasse, que ultrapassasse todos os limites. Muito diferente daquele amor vivido com Set.

Outro aspecto que esta história coloca em discussão é a traição e suas conseqüências. Enganosamente, Set imaginou que a vingança pudesse restituir sua relação com Néftis, porém a vingança só alimentou ainda mais a raiva por ter sido traído.

por Tatiana Karinya



Total de leitores: 693. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.939.430
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.