Grande Oriente da Bahia – GOBA

Grande Oriente da Bahia – GOBA

Por Almério Pereira Rodrigues – Grão Mestre Ad Vitam

Precisamente, em 14 de março de 1988, surge o primeiro embrião que denominamos Loja Maçônica Mensageiros da Paz, a qual recebeu do Soberano Grão Mestre do GOIRJ – Grande Oriente Independente do Rio de Janeiro irmão Alberto Silveira Conde sua identidade Maçônica numa Sessão Magna constituída por 32 (trinta e dois) Irmãos provenientes daquele Oriente liderados pelo Irmão G.·.M.·. e os treze Irmãos egressos da Loja Maçônica Cruzeiro do Sul filiada ao GOEB, ocasionado por um insensível desmando da administração daquela Potência Maçônica baiana, pois tentaram impor o resgate de um carnê, o qual estava acompanhado de um decreto-lei que ameaçava de suspensão dos direitos maçônicos aquele que ousasse ao seu não pagamento, como também a contrariedade na eleição para venerável, quando obtive dezessete votos dos vinte eleitores. Seus clamores chegaram até Salvador, o que culminou primeiramente com a suspensão dos Irmãos Ricardo, Joedi e Delson, e posteriormente a expulsão dos treze obreiros seguintes: Almério Pereira Rodrigues, Joedi Barreto Pinto, Ricardo Guimarães de Ávila, Delson Magalhães Garcia, Anelson de Araújo Marques, Américo Vieira Mendes, Celito Brito, Euclides Pereira de Barros (in memoriam), Francisco José da Silva, Gilson Ivo Fernandes, Clarindo Patez de Azevedo (in memoriam), Dulcimar Fernandes Frota e Norberto Santos de Oliveira, irmãos que após esta Sessão Magna, presidida pelo G.·.M.·. passaram a ser membros egrégios da célula mater LOJA MAÇÔNICA MENSAGEIROS DA PAZ.

No primeiro contato que mantivemos com o Grão Mestre do GOIRJ, Irmão Alberto Silveira Conde, sem conhecê-lo pessoalmente, e naquele momento, por contato telefônico, num diálogo no qual lhe narramos a nossa história resumidamente, ele nos respondeu sem rodeios!: “Estarei em Guanambi precisamente no dia 14 de março de 1988”. Faltando apenas 31 dias para sua presença em nosso Oriente, pois estávamos em 12 de fevereiro de 1988, este foi o prazo que nos deu para a construção de um Templo, pois nos foram negados os das Lojas aqui existentes filiadas às outras Potências. Contudo, sobrepondo todas as dificuldades, construímos nosso Templo dentro do prazo preestabelecido, modificando a estrutura de uma casa velha cedida de livre e espontânea vontade, sem ônus, pelo nosso Irmão Dulcimar Fernandes Frota (Mazinho), a qual poderia ser usada conforme as necessidades exigidas para a transformação em um Templo provisório, somente por um ano, nem um dia a mais, foi exigido o compromisso verbal de Maçons, localizada na Rua Henrique Dias, nº 211, Centro, onde foi realizada a Sessão Magna de Sagração do Templo e Identidade Maçônica da Loja Mensageiros da Paz.

A narrativa acima aconteceu porque nos primeiros dias de fevereiro de 1988 numa consulta ao editor da Revista Maçônica “A Trolha”, Ilustre Irmão Chico Trolha (in memoriam) nos sugeriu que constituíssemos um Grande Oriente; bastando para tal que criássemos primeiramente 01 (uma) loja, o que sem delongas passamos às providências; sendo que a primordial foi a constituição da Loja Maçônica Mensageiros da Paz, na qual realizamos diversas Sessões Magnas de Iniciações, estas com vários neófitos, as quais proporcionaram que chegássemos ao número de 58 (cinquenta e oito) Membros Ativos. Nesta oportunidade, resolvemos dividir a Loja ao meio, numa Assembléia totalmente democrática, pois abri mão na escolha dos irmãos um a um, outorgando ao irmão Ricardo que selecionasse todos os irmãos que desejava que constituíssem sua Loja.

Com esta divisão, surgiu a Loja Maçônica SABEDORIA TRIUNFANTE em 06 de Outubro de 1988. Através destas movimentações Maçônicas, sendo as principais construções de Templos, constituições de Lojas, sucessivas iniciações com um número elevado de iniciandos, surgiram as proibições de visitações de Obreiros por parte das Lojas filiadas a outras Potências Maçônicas, que nos consideravam espúrios, clandestinos e irregulares, pois não reconheciam o Colégio de Grãos Mestres (hoje CONFEDERAÇÃO MAÇÔNICA DO BRASIL – COMAB) como Potência Maçônica regular, motivos que geraram uma dissidência na Loja Maçônica Fraternidade Guanambiense – CSM liderada pelos irmãos: Paulo Henrique Silveira Lima, José Leôncio Coutrim Lima e Valdionor Silva Souza, estes principalmente e outros, os quais constituíram em 20 de Setembro de 1989 a Loja Maçônica COLUNA DE HARMONIA. Dessa forma ficaram constituídos os três pilares necessários à criação do GRANDE ORIENTE DA BAHIA – GOBA, que na sua parte física louvamos o empenho da totalidade dos irmãos, os quais em conjunto e num esforço quase subumano para arrecadar metais, fizeram realizar bingos, sorteios, feijoadas, festivais de chopp, barracas em festas populares, serestas, livro de ouro e doações próprias.

No princípio de março de 1989, com a aproximação da entrega do imóvel retro mencionado ao nosso Irmão Dulcimar, instalou-se em nosso meio a necessidade urgente da construção de um novo Templo; resolvemos solicitar, com uma comissão formada por sete Irmãos: Ricardo, Walguimar, Joedi, Almério, Delson, Américo e Marcos Salvador, uma audiência com o prefeito José Neves Teixeira (Binha), este também Maçom inativo, porém reconhecia a Maçonaria como uma entidade prestadora de grandes serviços filantrópicos à sociedade, o qual nos mostrou um lote de 10x30m na Rua Rio de Janeiro, nº 344, onde hoje funciona o INSS, entretanto, para a pretensão de todos o terreno era pequeno. Passados cerca de 10 dias, ele nos comunicou para que estivéssemos presentes às cinco horas da manhã no final da Rua Joaquim Lima, no Bairro Brasília, onde comparecemos no dia e hora marcados, ocasião em que o prefeito nos apontou um terreno com oito lotes, sendo quatro de frente para a Rua Joaquim Lima, e quatro de frente para a Rua Rio Grande do Sul. Era um ano de eleições e vários vereadores estavam doando lotes naquele loteamento, então, ficamos atentos com o movimento das doações, ocasião que tive a oportunidade de um diálogo com o vereador Vá Donato, meu conterrâneo de Urandi, o qual me auxiliou nas diversas trocas de cartões de proprietários de lote naquele local. O certo é que hoje possuímos uma área totalmente murada constante de dezessete lotes com 5100m² e 1150m² de área construída, com Templo, Sala dos Passos Perdidos, Auditório (em construção), Depósito, Salas Individuais para as Lojas, Sanitários Masculino e Feminino, duas amplas salas onde funciona o Bar e a Cozinha, área de lazer e um campo de Futebol Society. A maior surpresa aconteceu quando pensávamos que tudo estava concluído, então, em um sábado chuvoso, o telhado do Templo DESABOU, destruindo o teto de gesso, a maioria das cadeiras, altares e demais utensílios que compõem uma Loja Maçônica. Muitos irmãos pensaram que estava tudo acabado, no entanto, em ato contínuo, na segunda-feira, iniciamos a construção de um novo Templo, um trabalho de titãs, pois tivemos que usar quatro trifors para alinhar as paredes que ainda ficaram de pé. Fomos obrigados a retornar ao serviço de arrecadação de metais pois estávamos com o caixa vazio. O ideal Maçônico é muito maior que as nossas próprias vontades, dele sobressaindo a virtude Maçônica, que impregna a consciência de todo legítimo Maçom.

Oportunamente, em 29 de janeiro de 1990, tivemos a grata honra de recebermos em nosso Oriente, onde chovia intermitentemente tornando as estradas esburacadas e enlameadas, quase intransitáveis, os Soberanos Irmãos Grãos Mestres ALBERTO SILVEIRA CONDE (GOIRJ), HIROITO TORRES LAJE (GOMG) e FRANCISCO VADY NOZAR MELLO (GOSC), os quais para terminarem a viagem, solicitamos do irmão Américo, que com sua habilidade em estradas desse tipo, fosse buscá-los em Espinosa-MG, onde ficaram impossibilitados de completar a jornada pelos motivos retro mencionados. Sob os Auspícios dos Grandes Orientes que representavam nos foi dada a legítima identidade Maçônica numa Assembléia que galgou os píncaros de todas as nossas expectativas, pois sob o Emblema “FIAT LUX” estava constituído o GRANDE ORIENTE DA BAHIA – GOBA, primeiro e único fundado no interior brasileiro, empossados os Irmãos Almério Pereira Rodrigues G.·.M.·. e Joedi Barreto Pinto G.·.M.·.Adjunto, eleitos anteriormente. É importante evidenciar a missão da qual inegavelmente não podemos desconhecer o imensurável esforço voluntário pelo seu engrandecimento, fruto do fervoroso empenho desses irmãos:

A.·.R.·.L.·.M.·.Mensageiros da Paz:

Almério Pereira Rodrigues, Walguimar Cotrim Pires, Edgard Cayres Rodrigues, José Nilton Pimentel Vieira, Clarindo Patez de Azevedo, Wilson Barbosa Leal (carinhosamente conhecido como “Pois Pois”), Marcos Salvador Fernandes de Souza, Antônio Carlos Rocha Carvalho, José Humberto Oliveira, Francisco José da Silva, Euclides Pereira de Barros, Norberto Santos Oliveira, Celito Brito, Saulo Freitas de Lelis, Eduardo Gomes, Adautino Pereira Rodrigues, Ângelo Pereira de Brito, Juarez Gonçalves Dantas, José Felton Dantas

A.·.R.·.L.·.M.·.Sabedoria Triunfante:

Ricardo Guimarães d’Ávila, Joedi Barreto Pinto, Delson Magalhães Garcia, Antonio Bel Neto, Janilson da Silva Palhano, Norival Pereira Magalhães, Jazon Jerônimo Neto, Antônio Manoel Vieira, Alain Teixeira Marchesini, Idarcel de Oliveira Ledo, Joalúcio de Almeida Silva, Odon Costa Amaral, Luiz Carlos Pereira Régis, Ednaldo Oliveira Sirqueira (Bai)

A.·.R.·.L.·.M.·.Coluna de Harmonia:

José Leôncio Coutrim Lima, Valdionor Silva Souza, Paulo Henrique Silveira Lima, Gilmar Costa Bezerra, César Fernandes Neto, Carlos Marcelo Batista Neves, Jaildo Coutrim Lima, Braulino de Oliveira Costa, Messias de Souza Brito e Euclides Pereira de Barros Filho.

Aqui abrimos um honroso espaço para agradecer o desapego às coisas materiais e preocupações egoísticas, a abnegação e o altruísmo de todos os irmãos, peculiarmente da minha esposa e de todas as cunhadas sem exceção, pois sem dúvidas podemos acrescentar que elas fizeram parte da edificação de todo empreendimento que constitui o Grande Oriente da Bahia-GOBA.

Por solicitação da Soberana Direção Administrativa do GOBA – Grande Oriente da Bahia, em especial do Sob.·. Irmão G.·. M.·. Gilberto Lima da Silva, sinto-me honrado em ter descrito numa breve narrativa esta história do advento do GOBA.

Guanambi/BA, 01 de outubro de 2011

Almério Pereira Rodrigues
G.·. M.·. ad vitam do Grande Oriente da Bahia-GOBA
Rua Otávio Mangabeira, nº 48, Centro, Guanambi/BA, CEP 46430-000



Total de leitores: 355. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.964.700
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.