Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro

Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro

A GRANDE LOJA MAÇÔNICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (MM.:AA.:LL.: & AA.:), potência Maçônica Simbólica Universal, constituída pela fusão da:

Grande Loja Symbólica do Rio de Janeiro fundada em 22/06/1927, com denominação alterada para Grande Loja do Rio de Janeiro, com estatuto registrado no Registro Civil de pessoas Jurídicas do Rio de Janeiro em 25/08/1950 sob o nº 1.459, com estatutos reformados em 29/05/1963 registrado em 21/05/1964 sob o nº 12.042 e em Assembléia Constituinte reunida em 03/12/1976 e 17/01/1977 que editou o decreto nº 363/77 registrado em 04/11/1977 sob o nº 48.266 quando passou a denominar-se Grande Loja da Guanabara e da  Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro, fundada em 30/03/1944 sob o nome de Grande Oriente Independente do Estado do Rio de Janeiro, que passou a denominar-se Grande Oriente Simbólico do Estado do Rio de Janeiro por deliberação de 09/11/1948 que passou a denominar-se Grande Loja do Estado do Rio de Janeiro por deliberação de 12/07/1957 passando a denominar-se Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro por deliberação de 25/07/1994 registrado em 17/04/1944 no Registro Civil de pessoas Jurídicas anexo ao Cartório do 3º Ofício de Niterói sob o nº 161 a fls. 126 do Livro A-2, cujos diplomas institucionais datam de 30 de março de 1944, 28 de agosto de 1944, 09 de novembro de 1948, 14 de outubro de 1957 e 23/09/1978.
DEFINE-SE PELOS SEGUINTES POSTULADOS:

Crê e proclama o princípio impessoal do Grande Arquiteto do Universo como Deus, fonte de prevalência do espírito sobre a matéria e sem o qual nenhum candidato será admitido em seu seio.

Adota e propaga as doutrinas maçônicas que visam alcançar, pelos meios pacíficos da instrução e do exemplo, o aperfeiçoamento moral e intelectual do homem em todos os setores de sua atividade.

Adota o culto à pátria e o respeito absoluto à Família. Aquela, o berço acrescido, o lar comum, a força vital; esta, o sustentáculo moral das coletividades politicamente organizadas.

Considera o homem segundo a direção que dá à sua vida, entendendo como condição de paz universal o respeito mútuo de indivíduo a indivíduo, de povo a povo, de Estado a Estado.

Honra o trabalho em todas as suas formas honestas e tem-no por dever ao qual ninguém deve escusar-se sem justa causa, especialmente o maçom, obreiro que é da Arte Real.

Repele qualquer recurso à força ou à violência e não emprestará solidariedade ao menor desrespeito às autoridades públicas ou às leis do país, visto que o edifício social da Maçonaria Universal repousa na observância à Lei que o poder legitima-mente organizado e constituído representa.

Não impõe limites à livre e consciente investigação da verdade em prol da doutrina e do aperfeiçoamento de seus adeptos.

Não limita a prática da beneficência e dos auxílios materiais; mas, a estes, sobrepõe o primado do amparo moral em todas as oportunidades dignas dele.

Ensina que a Democracia, no conceito maçônico, tem acepção filosófica diferente do sentido meramente político. Ninguém é livre contra a Verdade, contra a Evidência, contra a Necessidade. O Maçom jamais será voluntariamente escravo da ignorância, da falsidade ou do erro.

Na Comunhão Social da Maçonaria, o valor moral é tido como dote de alto preço.

Todo pensamento maçônico deve ser criador, porque isso engrandece o espírito e enobrece o coração.

http://www.glmerj.org.br/



Total de leitores: 565. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.950.927
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.


  1. Sou filha de um maçom, mas desde que ele se separou da minha mãe ele me abandonou, só consegui sobreviver financeiramente devido a decisão da justiça em ter a pensão. Meu Pai foi casado por 23 anos com minha mãe, mas era agressivo e a delegada retirou ele de casa. Eu tinha 9 anos.

    Recebi a pensão até os 22 anos. Eu estudava e estava terminando a faculdade. Mas surpreendentemente ele conseguiu tirar minha pensão de um dia par outro, sem me avisar. Com isso, fiquei devendo faculdade, aluguel, banco.

    Peço, por favor que me ajude, sei que sou sobrinha de vocês e só estou escrevendo para a Ordem pois, já tentei várias tentativas para falar com ele, mas ele não atendo o telefone do seu trabalho, eu nunca tive o celular dele.

    Não estou aqui para falar mal dele e nem prejudicar, só quero que através de vocês que são os meus tios que me ajudem a convencer a ele me ajudar a fazer acordo com os lugares que fiquei devendo e com isso, posso voltar a faculdade e terminar a faculdade.

    Por favor, não me abandone, já não sei o que fazer!

    O amigo da minha mãe resolveu me ajudar, mas ainda não teve retorno de nenhum lugar. Por essa razão, imploro que me ajude a vencer e pagar as dívidas e viver dignamente.

    Desculpe o desabafo, mas estou desesperada.

    Agradeço do fundo do coração tudo que fizer por mim.

    Posso enviar o nome e o número dele, se desejarem, os processos que estão na justiça. Inclusivo, ele ficou detido alguns dias na delegacia por não pagar a pensão que estava atrasada por 2 anos.

    Ele tentou por várias vezes usar a sua influência de maçom aonde eu moro, em minha cidade, porém o juiz e o MP repreendeu a sua atitude por ser sua filha e me deixar sem condições de viver.

    Ganhei na 2ª Instância, mas como moro em outra cidade a justiça é lenta.

    Estou escrevendo no e-mail do meu tio, pois só não quero manchar a imagem dele com quem não é de direito. Pois eu amo o meu pai e sinto muita saudade dele!

    Muito obrigada!

    Sei que ele frequenta essas lojas abaixo.

    http://www.glmerj.org.br/ – Loja Maçônica Genesis

    A.:R.:L.:M.: VITAL BRAZIL 169

    cad: 015777-8

Deixe seus Comentários (rede social)