A Confraria das sete Hathor

A Confraria das sete Hathor

Na época dos Ptolomeus, os mistérios de Hathor eram celebrados nos mammisis por uma comunidade de mulheres intituladas “perfeitas, belas e puras”. Esses ritos remontavam à Alta Antiguidade, mas como muitas outras vezes, foi o Egito crepuscular que os revelou.

As Hathor tocavam música, cantavam e dançavam depois de um passeio ritualístico pelos pântanos, onde haviam feito zumbir os papiros em honra da deusa, ritualizando a Criação do Mundo. A cerimônia terminava com uma oferenda de vinho, líquido que abria o caminho à intuição do divino. «As Hathor eram 7, número sagrado e particularmente ligado à espiritualidade feminina» que são também chamadas “as veneráveis”. Seu papel consistia em:

afastar o Mal
manter a harmonia
favorecer todos os fenômenos do nascimento

Festivas, tocam tamboril e batem palmas. Tranquilas e recolhidas, dão as mãos para formar uma cadeia. Têm na fronte uma uraeus, e o seu toucado apresenta os chifres da vaca celeste emoldurando o globo solar.

A superiora das 7 Hathor segurava um cetro cuja extremidade tinha a forma de uma umbela de papiro. Sua irmãs envergavam, como ela, vestidos longos, enfeitadas com fitas vermelhas formando sete nós nos quais o Mal ficava encerrado. As 7 filhas da divina Luz, Rá, eram responsáveis pelo tempo de vida dos humanos e pelo seu destino. Presidiam simbolicamente a todos os nascimentos e vinham visitar as parturientes.

As serpentes uraeus que trazem na fronte lançam chamas purificadoras ou destrutivas, dependendo da autencidade do ser que as enfrenta. Podem conceder longevidade, estabilidade, saúde e descendência, mas também estabelecem as provas e o termo de um destino.

As fadas da Europa pagã foram suas herdeiras

Em Dendera e Edfu as 7 Hathor tocam tamboril e sistro em honra da deusa e do faraó que acabam de nascer. As iniciadas nos mistérios de Hathor manejavam 10 objetos sagrados, que podiam ser executados em miniaturas e em materiais preciosos:

  • colar da ressurreição – cujos sons recriam o mundo
  • clepsidra – relógio de água associado a Thot, senhor do tempo sagrado
  • dois sistros – afastam a violência e proporcionam a tranquilidade
  • símbolo hatórico real – 2 asas que protegem o Egito e o cosmos
  • mammisi – lugar do repouso e templo onde se realiza o mistério do nascimento
  • pote de leite – doce para o ka, alimento celeste que ilumina e rejuvenesce
  • cântaro – contém a bebida da embriaguez sagrada e que revela o que estava oculto
  • coroa para a fronte de Hathor – fundida por Ptah, que escolhera o ouro, a carne dos deuses
  • porta monumental fundada pelo Sol feminino – que abastece o país em oferendas e dá acesso ao templo

Esses objetos eram, representados nas paredes do templo da deusa e assim permaneceram vivos.

Artigos similares que indicamos



Total de leitores: 265. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.964.014
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.