A Prússia

A Prússia

Historicamente o território da Prússia foi adquirido à Polônia, pelos tratados de Wehlau (1657) e Oliva (1660) por Frederico Guilherme de Hohenzollern, o Grande Eleitor de Brandenburgo (1640-1688)

HISTÓRIA

O margrave Georg Friedrich von Brandenburg foi encarregado da administração do ducado da Prússia pelos poloneses (1577), então suseranos daquele antigo território da Ordem Teutônica. Margrave era um título que se dava naquela época aos príncipes soberanos de certos estados fronteiriços da Germânia. Seus sucessores continuaram a preencher idêntica função, mas enfrentando sempre a resistência da nobreza prussiana. O ducado da Prússia era uma dependência do reino da Polônia até o século XVII (1660), e o reino da Prússia permaneceu como parte da Polônia até o reinado de Frederico II o Grande (1772).

Historicamente o território da Prússia foi adquirido à Polônia, pelos tratados de Wehlau (1657) e Oliva (1660) por Frederico Guilherme de Hohenzollern, o Grande Eleitor de Brandenburgo (1640-1688), que conseguiu a libertação do ducado da suserania da Polônia e o reconhecimento de sua soberania, que logo se efetivou (1662), com a submissão da nobreza. Aos territórios iniciais logo se acrescentariam outros como os condados de Clève e Mark, na Renânia, e o condado do Ravensburg, no Weser.

Como Eleitor fortaleceu a administração e organizou um exército apoiado pelos huguenotes, designação depreciativa que os católicos franceses deram aos protestantes, especialmente aos calvinistas, que perseguidos por Luís XIV na França, constituíram uma verdadeira elite de oficiais, funcionários e intelectuais, acolhidos na Prússia, especialmente em Berlim, e começou a se firmar como futura nação independente com a vitória de Frederico em Fehrbellin (1675) contra os nórdicos, aliados dos franceses. Frederico III de Brandemburgo teve permissão (1701) de Leopoldo I, Imperador do Sacro Império Romano, para usar o título de Frederico I, rei da Prússia.

Assim o território foi elevada a reino (1701), tendo como rei Frederico I ou Frederico III de Brandemburgo, Eleitor de Brandenburgo (1688-1701), embora a imposição definitiva tenha vindo após a posse de Frederico Guilherme I (1713). Foi esse um administrador dedicado e severo, que dotou o país de um excelente exército, o terceiro da Europa, depois da Rússia e da França, e levantou a economia do reino principalmente com a indústria de lã com que vestia o exército.

Frederico Guilherme I reinou por 37 anos (1713-1740), casou com Sofia Dorotéa, filha de George Luís, eleitor de Hanôver, o último dos três patronos a que o extraordinário matemático Leibniz serviu em Hanôver, que veio a ser George I da Inglaterra. Frederico II, o Grande (1740-1786), sucessor de Frederico Guilherme, usou o poderoso exército da Prússia para tomar a grande e próspera província da Silésia à Áustria dos Habsburgo (1740), e sob seu reinado o grande filósofo Kant viveu a maior parte de sua vida, toda ela vivida em Königsberg.

A Prússia era rodeada de pequenos reinos reinos, centenas de pequenos principados e ducados germânicos, até que Guilherme I (1797-1888) assumiu a coroa (1861) e partiu para unificá-los em um grande Império. Abafada a oposição, lançou um programa de unificação dos estados alemães sob sua liderança, auxiliado por Bismarck, futuro chanceler. Apenas o rei Ludwig da Baviera hesitava ainda em declarar sua adesão.

Demorou praticamente uma década até que a fragmentada Germânia, com seus muitos pequenos principados e reinos, se aglutinasse em um Estado soberano e único, sob a liderança da Prússia. Neste período de ocorreram três guerras para que esse objetivo fosse alcançado: a promeira contra a Dinamarca (1864), a segunda contra a Áustria (1866) e a útima contra a França (1870-1871).

Com a rendição de Napoleão III, em Sedan, e com o desenvolvimento bem planejado de um entusiasmado espírito nacionalista, a adesão dos principados que ainda resistiam à unificação nacional foi conquistada, e na Sala dos Espelhos do Palácio de Versalhes, em Paris, na presença da corte germânica, muitos príncipes alemães e numerosos militares de alta patente em trajes de gala, decorados com medalhas, foi feita a proclamação do rei prussiano como imperador. Aquele ano ficou como o da fundação do Império Alemão (1871), 170 anos depois do Príncipe Eleitor de Brandemburgo ter sido coroado como o primeiro rei da Prússia. Bismarck se tornaria o primeiro-ministro prussiano e primeiro chanceler, chefe de governo do Império recém-fundado.

O Império da Prússia não sobreviveu a aventura da I Guerra Mundial (1914-1918), menos de meio século depois, e seu último imperador, b>Guilherme II (1859-1941), morreu no exílio (1941). A Prússia como Estado foi praticamente abolida pelos nazistas (1934) e, juridicamente, pelos aliados (1947). No entanto, o termo continua tendo relevância devido aos usos históricos, geográficos e culturais. O nome Prússia deriva dos Prússios, um povo do Báltico relacionado com os lituanos e em alemão escreve-se Preußen ou Preussen, em latim Borussia, em polaco Prusy, e em lituano Prusai.

ROL DE SOBERANOS

a) A lista de monarcas da Prússia pode ser dividida em:

1 – Eleitores ou Governadores de Brandenburgo (1577-1701);
2 – os Reis Prússia (1701-1871) e membros da família Hohenzollern;
3 – Imperadores da Alemanha (1871-1918).

b) A lista de reis é a seguinte:

Frederico Guilherme (1620 – 1688), o Grande Eleitor (1640-1688)
Frederico I (1657-1713): Eleitor (1688-1701): Rei por 12 anos (1701-1713)
Frederico Guilherme I (1688-1740): Rei por 27 anos (1713-1740)
Frederico II o Grande (1712-1786): Rei por 46 anos (1740-1786)
Frederico Guilherme II (1744-1797): Rei por 11 anos (1786-1797)
Frederico Guilherme III (1770–1840): Rei por 43 anos (1797-1840)
Frederico Guilherme IV (1795–1861): Rei por 21 anos (1840-1861)
Guilherme I (1797-1888): Rei (1861-1871) e Imperador germânico (1871-1888)
Frederico III (1831-1888): reinou por 99 dias (1888)
Guilherme II (1859-1941): reinou até o final da I Guerra (1888-1918)

OBSERVAÇÕES:

1 – Friedrich Wilhelm (alemão), Frederick William (inglês) ou Frederico Guilherme (português) são três versões do mesmo nome!
2 – Reis da Prússia em alemão escrevia-se König von Preussen (arcaico Preußen)

Mapa copiado do site de JAY WILPOT / MAPS:
http://www.1familytree.com/index.htm



Total de leitores: 178. Leitura diária: 1. Total de visitas: 2.963.591
mm

About Ivair Ximenes Lopes. Ivair Ximenes

Deixe seus Comentários

Seu comentário é muito importante. Com ele tomamos iniciativas úteis.